O legado de Salvatore Ferragamo

Atualizado: 1 de jun.



Uma história de vida dedicada ao lavoro com calçados e a busca pela perfeição.

Salvatore Ferragamo foi um jovem audacioso. Nascido em uma família humilde de sapateiros na região de Nápoles, ele foi em busca de uma vida melhor. Imigrou para os Estados Unidos e lá estudou a fundo a melhor maneira para confeccionar belos sapatos com o conforto que as mulheres precisavam. Estudou a anatomia do pé, toda a musculatura e a distribuição do peso do corpo sobre os pés, para poder desenhar sapatos perfeitos.


Depois de conquistar uma bela clientela naquele país e ter feito certa riqueza, voltou pra sua região na Itália, em meados de 1927, com o objetivo de encontrar uma bela esposa e então abrir sua primeira loja no país.


Esposou Vanda, filha de um médico napolitano, e logo se mudaram para Firenze. Em 1938 ele comprava seu Palazzo, Spini Ferroni, numa belíssima esquina de Firenze, próximo a Ponte Vecchio, onde hoje abriga um museu dedicado aos seu legado e ao de sua esposa e filhos.

Após a morte de Salvatore, sua esposa Vanda decide ir avante com os negócios do marido, amparada por seus seis filhos, três homens e três mulheres, cada um se dedicando a uma parte do negócio.


Hoje o Palazzo que se tornou o museu Salvatore Ferragamo em 1995 expõe não apenas o legado de um dos mais importantes e badalados fabricantes de sapatos do século XX, mas ainda homenageia a esposa do comerciante, Vanda Ferragamo, com uma belíssima exposição intitulada Donne in Equilibrio, dedicada ao empreendedorismo feminino e à emancipação das mulheres na Itália, nas décadas de 50 e 60.



A exposição inicia pela história da grande mulher que foi Vanda Ferragamo, que morre em 2019 aos 97 anos. Ela era uma mulher extremamente discreta e nunca quis para si os louros do sucesso do marido e, posteriormente o dos filhos, que ampliariam enormemente tanto a linha de produtos, quanto a exposição e o reconhecimento da marca em todo o mundo. Vanda sempre deu todo o crédito ao marido, aos filhos e aos funcionários da empresa.




A exposição passeia pelas várias áreas de atuação em que as mulheres estariam atuando naquelas décadas, como comissárias de bordo, designers, jornalistas, artistas plásticas, médicas, modelos, enfim. Mostra os trajes da época e a forte influência que Salvatore Ferragamo imprimiu à sociedade daquela época, com seus calçados confortáveis para a mulher moderna, que andava nas ruas, que pegava taxi e ônibus, e precisava estar elegante e confortável ao mesmo tempo.



E exposição é belíssima, cheia de informação e muito significado, tanto para a família, quanto para as mulheres e ainda para o mundo da moda e dos produtores de calçados.

(Algumas imagens foram retiradas do tour virtual do site, pois não é autorizado fazer fotos no interior do museu).

Texto: Cyntia Braga


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo